Fique por Dentro

DICAS ANTI-TABAGISMO
(Adaptado das rotinas do Centro de Promoção à saúde do HCFMUSP)

  1. A cessação do uso de qualquer forma de tabaco, é benéfica em qualquer faixa etária, independente do tempo do hábito ou da quantidade utilizada ao dia, a idéia de que poucos cigarros não fazem mal à saúde é um mito;
  2. Noventa e cinco por cento (95%) dos ex-fumantes pararam de fumar sem qualquer tipo de ajuda externa, sendo assim, o papel dos profissionais de saúde é, principalmente, a de auxiliar fumantes a se tornarem altamente motivados a abandonarem o hábito;
  3. O tabagismo apresenta efeitos deletérios à saúde fetal e das crianças e, portanto, grávidas e pais fumantes devem redobrar os cuidados quanto ao vício;
  4. Adesivos e gomas de nicotina, só devem ser utilizados de forma adjuvante, ou seja, após a interrupção do hábito e apenas para pacientes selecionados, durante a reposição é absolutamente proibido fumar, pois a superdosagem de nicotina aumenta o risco cardiovascular;
  5. São estratégias para aderir à privação ao tabaco:
    • Lembrar-se sempre dos benefícios de se parar de fumar, e que qualquer um é capaz, se necessário marcar “o dia de parar” (no máximo dentro de 30 dias) e preparar-se para eventuais sintomas de abstinência (ver tabela 1), caso você já tenha parado e retornou, lembre-se que isto é a regra e não a exceção (em geral, o sucesso ocorre a partir da terceira ou quarta tentativa de interrupção do tabagismo), no entanto, deve-se esforçar para retornar ao jejum tabágico;
    • As duas primeiras semanas de abstinência são as mais difíceis devendo-se reforçar o auto-policiamento nesse período, é nesta fase que ocorre a maioria dos insucessos;
    • Ler com freqüência material de autopromoção a saúde, como panfletos e páginas na internet e assistir e/ou escutar programas educativos nesse sentido em meios de comunicação diversos;
    • Programas comunitários e coletivos são de grande ajuda;
  6. O hábito, na grande maioria das vezes inicia-se antes da maioridade, devendo-se orientar pais, cuidadores, crianças e adolescentes quanto aos seus males;
  7. Para conhecimento, o abandono do hábito de fumar é um processo dinâmico, passando por vários estágios. São eles:
    • PRÉ-CONTEMPLAÇÃO: Quando o fumante não vislumbra a possibilidade de parar de fumar e não se preocupa com isso;
    • CONTEMPLAÇÃO: Quando já admite que o tabagismo é um problema e planeja mudar de comportamento;
    • AÇÃO: Quando medidas de mudança do comportamento são adotadas. Como o abandono do cigarro e certas modificações ambientais;
    • MANUTENÇÃO: Fase de trabalho e apoio contínuos que visam a prevenção de recaídas;
    • RECAÍDA: Quando falha a estratégia de manutenção e o indivíduo volta a fumar. Podendo, entretanto, voltar às fases iniciais do processo;
  8. Modifique sua rotina diária (quebrando antigos hábitos e modificando locais e mobília onde costuma fumar – ver tabela 2), realize: alimentação equilibrada pobre em calorias, exercícios físicos regulares, ingestão adequada de líquidos e leitura de material de auto-ajuda;
  9. Evite: cafezinho e bate-papo com amigos e elimine: cinzeiros, revistas, propagandas e outros utensílios que induzam ao consumo de cigarros ( ver tabela 2);
  10. Podem surgir alguns sintomas após a interrupção do tabagismo como: tosse (que pode aparecer ou piorar), ganho de peso (em geral 3 Kg) e momentos de “fissura”, porém, todos auto-limitados;
  11. Apoio de familiares e amigos é importante para uma tentativa bem-sucedida;
  12. Todo ex-fumante deve permanecer atento, mesmo de situações aparentemente controladas, pois a dependência de nicotina pode retornar caso volte a fumar, portanto, não dê uma tragada ou acenda um cigarro. A regra é: “Evite o primeiro cigarro que você evitará todos os outros”;
  13. Para prevenirem recaídas, lembre-se: Evitar, Escapar, Distrair e Adiar: ( Ver tabela 2)
    • EVITAR: festas, ingestão de álcool, cafezinho, encontro com fumantes, pelo menos durante as primeiras semanas de parada;
    • ESCAPAR: saindo das salas onde se fuma mais ou de reuniões estressantes;
    • DISTRAIR-SE: desviando o foco de atenção com uma mudança de tarefa, pensamento ou lugar;
    • ADIAR: a recaída, no caso de “fissura”, esperando que essa vontade intensa de fumar passe (o que costuma ocorrer em poucos minutos)
  14. A recaída, caso ocorra, deve ser objeto de análise a fim de se identificar suas causas e circunstâncias e deve-se estimular a nova tentativa de interrupção do tabagismo com um plano de ação melhor estruturado;
TESTE DE FAGERSTÖM – ESTIMATIVA DA DEPENDÊNCIA DE NICOTINA (tabela 1) 

1. Quanto tempo após acordar você fuma o seu primeiro cigarro?
    Dentro de 5 minutos = 3 pontos
    Entre 6 e 30 minutos = 2 pontos
    Entre 31 e 60 minutos = 1 ponto
    Após 60 minutos = 0
2. Você acha difícil não fumar em lugares proibidos. Como igrejas, bibliotecas, cinemas, ônibus, etc.
    Sim = 1
    Não = 0
3. Qual cigarro do dia traz mais satisfação?
    O primeiro da manhã = 1
    Outros = 0
4. Quantos cigarros você fuma por dia?
    Menos de 10 = 0
    De 11 a 20 = 1
    De 21 a 30 = 2
    Mais de 31 = 3
5. Você fuma mais freqüentemente pela manhã?
    Sim = 1
    Não = 0
6. Você fuma mesmo doente, quando precisa ficar de cama a maior parte do tempo?
    Sim = 1
    Não = 0
Conclusão sobre o grau de dependência:
    0-2 pontos = muito baixo;
    3-4 pontos = baixo;
    5 pontos = médio;
    6-7 pontos = elevado; « Sintomas de abstinência são esperados
    8-10 = muito elevado; « Sintomas de abstinência são esperados

DICAS PARA RESISTIR AO DESEJO DE FUMAR E A “FISSURA” (tabela 2) 

  1. Evitar café: caso não consiga; recomenda-se mudar o local com freqüência;
  2. Escovar os dentes imediatamente após as refeições;
  3. Ter sempre à mão alguma alternativa de passatempo (p.ex. livro, caminhada);
  4. Beber água ou suco nas reuniões demoradas;
  5. Mascar ou mordiscar bastões de canela, cenoura, erva-doce, etc.;
  6. Dar preferência a “programas” em ambientes livres de tabaco;
  7. Nos ambientes onde se fuma, procurar detalhes e conversas que distraíam do cigarro;
  8. Recusar cigarros oferecidos, apelando à compreensão e ajuda de quem ofereceu;
  9. Quebrar rotinas associadas ao tabagismo: trocar poltronas de lugar, procurar alguém para conversar quando estiver sozinho;
  10. Ocupar-se com desenhos ou rabiscos, enquanto fala longamente ao telefone;
  11. Fugir da ociosidade mantendo atividades constantes (p.ex. arrumar a bagunça de casa, lavar o carro);
  12. Pensar em outras coisas, usando técnicas de relaxamento e respiração profunda;
  13. Lembrar sempre o lado positivo de não fumar para o hálito, dentes e saúde em geral.
Convênios:
Endereço: Rua Manoel de Carvalho, 94 | Espinheiro | Recife-PE - CEP: 52050-370
E-mail: atendimento@unionco.com.br | Fone: (81) 3241-6355